UROGINECOLOGIA

Fst. Rebeca Meira Q. Dib e Fst. Jéssica Leiner

FISIOTERAPIA PÉLVICA: É uma especialidade da fisioterapia que previne e trata disfunções do assoalho pélvico, grupo muscular que está localizado na base da pelve. Encontramos músculos mais superficiais e mais internos, com a função de sustentar os órgãos pélvicos, “amassar” a uretra evitando a perda de urina (incontinência urinária), “fechar” o esfíncter anal evitando a perda de gases ou fezes (incontinência anorretal ou fecal), “apertar” a vagina, responsável por manter a função sexual. 

FISIOTERAPIA PARA OS HOMENS: A Prostatectomia Radical é a cirurgia realizada para o tratamento do câncer de próstata, sendo a incontinência urinária e a disfunção erétil as principais complicações no pós operatório, gerando um grande desconforto e baixo auto estima no homem. A fisioterapia atua na ativação dos músculos do assoalho pélvico, com aparelho de eletroestimulação por biofeedback e cinesioterapia para este grupo muscular.

FISIOTERAPIA PARA AS MULHERES: A menopausa, evento normal na vida da mulher, acontece por volta dos 45 a 50 anos de vida, sendo o período no qual os níveis de estrogênio vão caindo até que este hormônio deixe de vez de ser produzido. Assim, um dos efeitos da falta de estrogênio no organismo é a fraqueza gerada em todas as células musculares do corpo, inclusive as da musculatura do assoalho pélvico (MAP), enfraquecendo essa musculatura, sendo a principal causa de incontinência urinária nesse período e aumento de infecções. A fisioterapia atua também em inúmeras afecções ginecológicas, como no tratamento conservador de prolapsos genitais, flatos vaginais, vaginismo, incontinência urinária e fecal e diversas disfunções sexuais.

FISIOTERAPIA NO PRÉ E PÓS PARTO: Durante a gestação a sobrecarga dos músculos do assoalho pélvico é radicalmente aumentada, afinal, além de sustentar o peso constante dos órgãos pélvicos agora precisa sustentar todo o peso do bebê e anexos embrionários (placenta, líquido amniótico, etc.) durante todo o dia e especialmente quando a mulher está de pé ou sentada. Por esse motivo seria ideal, que a mulher, ao planejar ter filhos, treinasse essa musculatura antes e durante a gestação para evitar afecções como prolapsos genitais e incontinência urinária. Além da musculatura do assoalho pélvico, a fisioterapia proporciona uma melhora na capacidade cardiopulmonar durante a gestação, controle do ganho de peso e postura adequada com exercícios supervisionados por profissional especializado.
Além do treinamento de força da musculatura do assoalho pélvico, treinamos em conjunto o alongamento para o preparo desse grupo muscular para o parto normal. Sabendo que o colo do útero sofre um processo fisiológico natural no parto, que é a dilatação, a MAP ao contrário disso, sofre um alongamento em até 100% da sua capacidade, sendo assim podemos evitar a episiotomia (corte) no parto normal. Com 37 semanas, iniciamos o treino de expulsão para que a gestante saiba exatamente qual a forma correta de fazer a força na hora do parto normal. 

FISIOTERAPIA PÉLVICA PARA CRIANÇAS: O desfralde é um momento delicado na vida de uma criança e é preciso ter a orientação adequada do momento certo de desfraldar e como fazer, pois dessa forma a criança tem grandes chances de aprender da maneira correta e não ter futuras disfunções miccionais e evacuatórias. A fisioterapia pélvica ajuda nesse período da vida das crianças, orientando adequadamente os pais sobre a forma correta de realizar o desfralde. Além do que também tratamos incontinência urinária e fecal da criança devidamente encaminhada pelo profissional que a acompanha periodicamente.